Resenha: Desaparecido para sempre



"No leito de morte, a mãe de Will Klein lhe faz uma revelação: seu irmão mais velho, Ken, desaparecido há 11 anos e acusado do assassinato de sua vizinha Jullie Miller, está vivo. Embora a polícia o considere um fugitivo, a família sempre acreditou em sua inocência.

Ainda aturdido por essa descoberta e tentando entender o que realmente aconteceu com seu irmão, Will se depara com outro mistério: Sheila, seu grande amor, some de repente. O FBI suspeita que ela esteja envolvida no assassinato de dois homens. Apesar de estarem juntos há quase um ano, Sheila nunca revelou muito sobre seu passado.
Enquanto isso, Philip McGuane e John Asselta, dois criminosos que eram amigos de infância de Ken, passam a inexplicavelmente rondar a vida de Will.
Para descobrir a verdade por trás desses acontecimentos, ele conta apenas com a ajuda de Squares - seu colega de trabalho em uma fundação de assistência a jovens carentes e proprietário de uma escola de ioga famosa entre as celebridades, o que lhe garante acesso a todo tipo de pessoas e de informações.
Mestre do thriller de ação, Harlan Coben se supera nesta eletrizante história cheia de incríveis reviravoltas. Um suspense que mostra a busca pelo assassino, pela vítima e, acima de tudo, pela verdade."

Oiie, hoje vim contar para vocês o que achei desse livro que ganhei de aniversário(obrigada Nina <3 ). Meu primeiro livro do Harlan Coben.
O livro começa com a morte da mãe do Will e a notícia de que seu irmão está vivo, a partir daí muita coisa estranha acontece.
Temos vários pontos de vista no livro além do Will, o que às vezes me confundiu um pouco, porque eram cenas que não davam muitos detalhes, tem muito mistério até o final do livro. O autor dava fragmentos e eu ficava feito uma louca tentando encaixá-los na história, então às vezes ficava confuso me situar, mas no decorrer da estória fui me habituando ao modo de escrita dele.
Como eu disse, tem muito mistério até o final do livro, então você passa o livro inteiro com aquela emoção e aquela vontade de descobrir o que está acontecendo, e isso me fez gostar muito do livro e do Harlan.
Eu passei o livro inteiro mudando de opinião e formulando milhões de teorias, das quais também dariam um bom livro, por sinal kkkkk, mas acabou que nenhuma das coisas que eu imaginei aconteceu, e eu gostei bastante do final.
Pretendo comprar os outros livros dele, tenho muita curiosidade de ler Seis anos Depois e Não conte a ninguém. Foi um ótimo presente.
Beijinhos e até a próxima.
                                                                                                                                Fê.

Resenha: Will&Will



"Amor adolescente, intriga, raiva, sofrimento e amizade. Tudo isso temperado com doses maciças de comédia. Prepare-se para o universo de Will&Will. E para pérolas de sabedoria que vão mudar sua vida... Ou pelo menos aumentar seu número de curtidas no Facebook.
Em uma noite fria, em uma improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson.
Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Um Will é amigo do mais expansivo gay da escola. O outro precisa explicar à própria mãe sua orientação sexual.
Mas, mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em uma aventura de proporções épicas."

Oioioi!!!! Quem assistiu o vídeo "Minha caixa de Correio - Jan/2015" (quem não viu pode ver clicando ali) sabe que Will & Will foi uma das minhas aquisições do mês de Janeiro, e agora eu vim contar o que achei.
Geeente, primeiramente preciso compartilhar minha emoção. Agora falta apenas um livro para eu terminar minha coleção do John Green!!!! Acreditam nisso?? Um livro!!! O que é bom e ruim ao mesmo tempo kkkkk.
Bom porque finalmente vou ter todos os livros dele, e ruim pois significa que ele não lançou mais nenhum livro. Tá na hora né John? Vamos produzir aí, não posso ficar sem seus livros kkkkk.
O livro se trata de dois garotos que possuem o mesmo nome: Will Grayson. Um dia eles se encontram e então suas vidas mudam.
Preciso explicar que não é nada do tipo: Ah, eles se conheceram e passaram a viver muitas aventuras.
Não, não é isso.
A mudança neles é mais emocional, mais profunda. Embora nenhum dos dois mantenha muito contato depois do encontro, existe algo que afeta os dois. E este algo é o amigo gay de um dos Will, Tiny Cooper. Ele é a ponte de ligação que faz com que os dois percebam o que está acontecendo e o que estão fazendo consigo mesmo.
É complicado explicar isso sem dar spoiler, mas Tiny faz eles perceberem quem eles são e quem eles querem ser.
Eu amei totalmente todos os personagens, amei o Will do John e o Will do David. Também preciso dizer que adorei a escrita do David, sinto muita vontade de ler os livros dele, depois de Will & Will fiquei com mais vontade ainda.
Também preciso falar dessa capa. Gente que capa mais linda *-* Babo demais por ela!!!
O final foi inesperado, eu gostaria de saber mais sobre o que acontece, mas gostei do jeito que acabou.
Me contem se vocês já leram ou pretendem ler esse livro. Quem ainda vai ler, espero que goste tando quanto eu!!!

"Você gosta de alguém que não pode retribuir seu amor porque é possível sobreviver ao amor não correspondido de uma forma que é impossível no caso do amor correspondido."
Beijinhos e até a próxima.
                                                                                                                         Fê.

Resenha: A Elite



"A Seleção começou com 35 garotas. Agora, restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está seu conforto. America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer - e ela está prestes a perder sua chance de escolher."

Olá pessoas!!! Sabem o que eu acabei de fazer? Eu acabei de ler A Elite, mais um livro da trilogia A Seleção, e vim contar tudo o que achei para vocês.
Ai gente, não sei nem como começar... Eu estava tão empolgada com esse livro, sentia tanta saudade dessa estória. Mas bem, preciso desabafar.
Quem acompanha minhas resenhas já percebeu que eu simplesmente ODEIO triângulo amoroso e, mesmo eu sabendo que teria um certo triângulo na trilogia, não imaginava, ou tinha esperanças de que não fosse tão forte. Doce ilusão.
A America está tão indecisa e tendo atitudes tão ridículas que chega a ser insuportável. Tinha horas em que eu queria entrar dentro do livro dar na cara dela e mandar ela calar a boca.
Porque como vocês já devem ter percebido, ou se não perceberam passem a reparar. A lógica do triângulo é: A mocinha tem dois caras completamente apaixonados por ela. Ela está indecisa. Ela pode ficar tendo momentos extremamente românticos com os dois. Mas nenhum dos dois pode sequer sorrir para outra garota.
Não é exatamente assim que as coisas funcionam? E é exatamente assim que acontece em A Elite. A America se acha no direito de ficar se agarrando com o Aspen, mas o Maxon não pode dar atenção para as outras. Ela fica pedindo tempo, só que ele não pode dar o tempo que ela quiser. Como ele mesmo disse- e eu AMEI- ele vai ficar esperando, vai eliminar as outras garotas, que poderiam amá-lo para no final ela perceber que não quer ser princesa? Ele vai perder a chance de ser amado só porque ela está indecisa? E o pior, ele vai largar tudo por alguém que não confia nele? Que joga tudo pro alto, prejudicando muitas vezes ele só porque está com raiva? E ela ainda se acha no direito de ficar magoada quando ele fala isso! Foi o cúmulo para mim. A garota vive desprezando ele.
E foi por tudo isso que a leitura na maior parte do tempo foi chata. Porque eu não aguentava mais a America.
Se a estória não me prendesse tanto, eu já teria largado de mão.
Nesse livro também conhecemos um pouco mais da história de Illéa, como tudo começou, o que é bem interessante. E finalmente - uma pena que só aconteça no final - América se decide!! É para glorificar de pé!!!!!!
Só que depois de tudo, não sei se gosto ou não da escolha dela. kkkkkkkkk Vejam, eu torcia muito para ela e o Maxon ficarem juntos. Sou totalmente Team Maxon. Mas depois das palhaçadas que ela fez, eu acho que o Maxon é bom demais para ela. Então um lado de mim está super feliz, enquanto o outro está falando: Acorda Maxon, olha eu aqui. A America não te merece, olha tudo o que ela fez. Casa comigo.
Enfim, eu adoro A Seleção, gosto mesmo, mas esse livro me deixou bem irritada. Espero que eu não passe por isso em A Escolha.
É isso gente, beijinhos e até a próxima.
                                                                                                                         Fê.