Resenha: Quando o vento sumiu


"Suzan, Mateus e Renato parecem três jovens como outros quaisquer do Rio Janeiro. Suzan estuda Turismo. Renato e Mateus, Engenharia Civil.
Os três são amigos desde o colégio e, apesar de muito diferentes, são inseparáveis. Mas, entre aulas, festas, momentos em família e idas à praia, cada um deles enfrenta seus problemas.
Desde que o pai foi pego dando um golpe, Mateus vive só com a mãe, marcado por esse acontecimento. Renato é um garoto rico que resiste às pressões do pai para surfar menos e se interessar mais pela construtora da família. Suzan é apaixonada por Renato e sofre por ser considerada apenas uma amiga - e pela pressão da mãe para que se envolva com ele.
No correr dos dias, a amizade dos dois se transforma sutilmente. Suzan deve se declarar ao amigo, ou tentar ser feliz de outro modo? Mateus terá realmente só amizade para lhe oferecer? Renato deve se render à pressão paterna e se aplicar mais aos estudos? E até que ponto a relação dos três suportará o desgaste do tempo?
Embora tenham toda a vida pela frente, logo descobrirão uma dura lição: algumas escolhas tem consequências duradouras e alteram o curso de toda uma existência. Muitas coisas saem diferente do desejado. O difícil é prever o resultado de nossas opções e conviver com elas no futuro.
E se pudesse voltar atrás e escolher outro final para a sua história? Que escolha você faria diferente?"

Oiee gente, como vocês estão? Minhas férias chegaram e agora passo o dia inteiro assistindo séries e lendo livros. Oh maravilha de vida!!!!
Hoje vim contar para vocês um livro mega lindo que terminei super rápido de tão gostoso e perfeito que foi.
Vocês já devem saber que eu adoro a Graci, e estava loooouca pelo novo livro dela. Gente, olha essa capa, que coisa divina!!!!! *Um minuto de silêncio para a beleza dessa capa*
Quando o Vento Sumiu vai tratar da amizade entre a Suzan, o Mateus e o Renato, que você já logo imagina que são amigos inseparáveis, daquele tipo que quando tiverem noventa anos, vão estar todos sentados relembrando os velhos tempos, e eles realmente são esse tipo, mas assim que você abre o livro, você pensa: Opa, pera aí, sinto uma energia escura no ar.
Mas você vai lendo e acompanhando a amizade dos três, que é realmente muito bonita. Os três se apoiam e se entendem apesar das diferenças e dos problemas.
A Suzan é uma menina dedicada e super legal que é apaixonada pelo Rafael, e sobre por isso, pois além dele ver ela apenas como amiga, a mãe da coitada tem uma fixação louca para que o namoro dos dois aconteça. E gente, que mulher ridícula. Sério, ela fala uma coisas tão absurdas, que mesmo a gente podendo ver a versão dela das coisas - pois o livro é em terceira pessoa e acompanhamos vários pontos de vista, o que é super legal - não dá pra ficar do lado dela.
Preciso dizer que eu adorei o pai e a irmã da Suzan, são personagens super legais, além de eu e a irmã da Suzan termos gostos super parecidos e ela ter um travesseiro do Nick Jonas(morri quando li).
O Renato é aquele tipo de pessoa despreocupada, que só quer curtir a vida e surfar. Sinceramente eu não o culpo, mesmo sendo uma nerd assumida e meio paranoica com minhas notas, eu gostaria de tirar pelo menos um ano só para mim, viajar, sei lá, só descansar, Afinal, passamos a infância e a adolescência inteira estudando, e quando finalmente acaba, não acaba. Você tem que entrar para uma faculdade, arranjar um trabalho, e acaba que nunca temos tempo para nós.
Se eu fosse rica, eu definitivamente passaria um ano viajando por aí quando acabasse o ensino médio.
Mas o Renato, mesmo tendo esse privilégio, não consegue fazer as coisas do jeito que gostaria, pois o pai fica pressionando ele para se interessar pelos assuntos da construtora, já que um dia, será ele que irá comandar aquilo tudo.
E o Mateus foi o personagem que eu mais me apeguei. Super fofo, responsável, ajuda a mãe no que pode depois de terem a vida completamente transformada pelo golpe que o pai deu.
Claro que cada um tem seus problemas, mas na minha opinião, o Mateus é o que mais sofre, além do preconceito das pessoas, a tristeza por descobrir que seu pai, que tanto idolatrava, na verdade é um bandido. Não é fácil.
Eu queria falar tanta coisa, mas seriam vários spoiler, então vou apenas dizer que, apesar de Até eu te Encontrar ter um lugar super especial no meu coração - porque foi o primeiro livro dela que eu li, e porque foi fantástico - e A Namorada do meu Amigo também ter sido ótimo, eu acredito que a Graci se superou nesse livro.
A história fluiu tão bem, os personagens são tão cativantes, o jeito como ele fez deixou tudo tão especial, e o final simplesmente arrasou comigo....
Outro ponto super interessante, foi que no final ela nos mostrou como as coisas poderiam ter sido se as escolhas tivessem sido diferentes, que é realmente o ponto do livro.
Muita coisa pode mudar dependendo das nossas escolhas, coisas que nem imaginamos podem acontecer, e na verdade, acho que isso é um dos motivos pelo qual é tão difícil fazer uma escolha. No fundo, não importa no que baseamos nossas escolhas, se planejamos aquilo ou não, nunca sabemos o que vai acontecer no final.
Eu espero que vocês possam ter o grande prazer de ler esse livro, assim como eu tive.
Beijinhos e até a próxima.
                                                                                                                              - Fê.

Resenha: Gelo Negro



"Britt Pfeiffer passou meses se preparando para uma trilha na Cordilheira Teton com a melhor amiga, mas não estava pronta para enfrentar a violenta nevasca que as pegou de surpresa no caminho. Ao procurar abrigo em uma cabana isolada, elas conhecem dois homens atraentes dispostos a ajudá-las. Pelo menos é isso o que as duas acham.

Criminosos foragidos, eles as fazem reféns. Para se salvar, Britt vai ter que ajudá-los a fugir em segurança, apesar do frio e da neve. Mas, durante a arriscada jornada em meio à natureza selvagem, o que de início é ameaça pode se tornar a salvação."

Oie gente!! Não sei se já falei aqui, mas eu adoroooo Hush Hush. Sou completamente apaixonada pela história e pelo Patch.
Mas hoje não vim falar sobre Hush Hush, vim falar sobre Gelo Negro, o novo livro da Becca, autora de Hush Hush.
Eu estava acompanhando tudo sobre esse livro, a prévia da capa(americana), a divulgação do título, tudo. Não via a hora de finalmente chegar ao Brasil e eu poder lê-lo. Me apaixonei pela sinopse e já imaginava um livro incrível com um suspense que é característico dela.
Pois bem, Britt é uma garota que sempre dependeu dos homens da família. No caso seu pai e seu irmão. Quando eu soube disso, imaginei que ela seria meio mimada, mas não é nada disso. Até me identifiquei com ela. 
Vejam, ela é dependente no sentido de não saber se virar sozinha em situações difíceis, quando algum problema acontecia, ela sempre pedia ajuda. E eu me identifiquei com ela, porque também sou meio assim. Eu sei fazer as coisas, sei ir à lugares sozinhas e etc, mas me sinto mais segura quando alguém está comigo, enfim.
A Britt resolve fazer essa viagem justamente porque ela quer provar que pode se virar sozinha, mas não para o pai ou para o irmão, mas sim para o ex-namorado Calvin.
Os dois namoraram em segredo por um tempo, porque ele é irmão da melhor amiga dela, Korbie, e os dois achavam que ela poderia não gostar. Só que esse era o menor dos problemas. Para mim, o Calvin nunca gostou dela, desde o princípio, só ela que nunca percebeu, já que sempre foi apaixonada por ele e o considerava o máximo. Mas para mim, ele não passava de um garoto metido que tinha problemas com o pai.
Antes da viagem, Britt encontra Calvin em uma loja e para se sentir e se mostrar superior, falou que já tinha superado e relacionamento deles e que já tinha até um namorado. O Calvin, debochando dela, coisa que ele fazia muito, não acreditou na história, então ela teve que fingir e mostrou o primeiro cara que ela viu e disse que ele era seu namorado, e é aí que conhecemos o lindo, maravilhoso, encantador e misterioso Mason( <3 <3 <3 <3 ).
Para a surpresa da Britt, do Calvin e minha, Mason entra na brincadeira e assume o papel de namorado, citando algumas informações que nos fazem ter uma certa desconfiança dele, pois ele sabe de certas coisas relacionadas à Britt. Como eu sabia que ela ia ficar presa com criminosos, na hora pensei: "É ele. Ele está investigando a vida dela, observando seus passos e quando ela estiver na montanha vai sequestrá-la."
Minha mente ia a mil a cada linha que eu lia, mas não foi bem isso que aconteceu. O fato é que no caminho para a tal cabana aonde ela e a amiga iam ficar hospedadas com o Calvin e o Urso(apelido do namorado da Korbie) começa a nevar e as duas ficam presas na estrada morrendo de frio. Então elas resolvem procurar ajuda, até que encontram uma cabana. Para a surpresa de Britt, Mason(lindo) está nessa cabana com um amigo.
As duas se abrigam ali, a contragosto do Mason que deixou claro que não gostava da ideia das duas estarem ali, o que ganhou pontos comigo. Porque pensem: Nós sabemos que as duas vão ficar presas com criminosos. Agora nós sabemos que eles são os criminosos, mas o Mason não quer elas lá, o que significa que ele se importa o suficiente para não gostar da ideia das duas ali, e que de uma certa forma está tentando proteger elas quando insiste em dizer que elas não podem ficar. Certo? Bem, isso vocês vão ter que descobrir sozinhos.
Eu nunca suspeitei do Mason sobre certas coisas que entram em jogo no decorrer da história, mesmo às vezes ele fazendo coisas que davam a entender que ele era culpado. Ele é aquele tipo de pessoa que você sabe que ele não é puro e santo e completamente inocente, mas mesmo assim você confia.
Uma coisa que me incomodou bastante na Britt é essa coisa do Calvin. Ela acredita fielmente que ele vai aparecer a qualquer momento para salvá-la e fica toda hora lembrando e falando sobre ele. Foi meio cansativo para mim porque eu nunca gostei do Calvin, então ficar vendo uma pessoa bajulando ele é meio chato.
O que eu achei bem interessante no livro, além de todo o mistério e seu desfecho, que eu confesso que não tinha imaginado e achei incrível, foi como a Britt se mostrou forte e inteligente em todos os momentos, apesar de no fundo ainda esperar o resgate do Calvin em seu cavalo branco, ela soube se virar sozinha, armou estratégias, sobreviveu ao frio cortante e a dois(será que são dois mesmo?)bandidos, tentando salvar a sua vida e a da amiga. Ela aprendeu a andar com as próprias pernas, e isso foi muito importante.
Não vou falar mais(embora eu queira) porque estou com medo de dar spoiler, mas saibam que eu amei o livro, achei fantástico, sou completamente apaixonada pelo Mason e recomendo para todo mundo. Tanto Hush Hush, como Gelo Negro, não vejo a hora dela lançar mais um livro kkkkkkkk.
Vou deixar aqui o book trailer do livro:

Beijinhos e até a próxima.
                                                                                                                            Fê.

Resenha: Objetos Cortantes



"QUANDO A FAMÍLIA É SUA PIOR PARTE.
Camille Preaker é repórter em Chicago e, a pedido de seu editor, Frank Curry, retorna a sua pequena cidade natal para investigar um mistério envolvendo a morte de uma menina e o desaparecimento de outra. Curry acredita se tratar de um caso de assassinatos em série que, com uma cobertura perspicaz, daria prestígio e destaque ao jornal.
Hospedada na casa da família, Camille precisa reaprender a conviver com a mãe, o padrasto e a meia-irmã, além de lidar com as memórias difíceis de sua infância e adolescência que tanto quis esquecer.
Enquanto trabalha para descobrir a verdade por trás desses crimes violentos e enviar a matéria para o jornal, Camille acaba se identificando, até demais, com as jovens vítimas. Assim, para terminar o trabalho, manter a sanidade intacta e sobreviver à estadia na cidade natal, a repórter terá que montar o quebra-cabeça psicológico do próprio passado e confrontar o que lhe ocorreu tantos anos antes."

Oie gente!!!! Tudo bem? Aiii, como é bom ler um bom livro né?
Defino Objetos Cortantes como intenso.
Camille trabalha em um jornal que não rende muito lucro então, para melhorar a situação do jornal e por apesar de tudo o Curry acreditar no potencial da Camille, ele a manda para Wind Gap, para investigar o assassinato de Natalie e Ann. Ann foi encontrada na floresta estrangulada e com todos os dentes arrancados. Natalie, que estava desaparecida, foi encontrada na calçada de uma das ruas da cidade, também estrangulada e com todos os dentes arrancados. As garotas tinham 9 e 10 anos respectivamente. Cruel, sim. Mas a crueldade e a insanidade está apenas começando.
Os problemas de Camille existem desde sempre, pois sua mãe, que conforme vamos conhecendo, percebemos que não é tão sã, sempre preferiu Marian(na época, a filha mais nova). Até que Marian morre, Adora, a mãe, se tranca no quarto e então Camille, que era muito apegada à irmã passa a se cortar e a viver uma vida nada comportada.
O interessante(sou louca por chamar isso de interessante?), é que não são simples cortes. São palavras. Ela tem o corpo todo, exceto mãos, rosto e um espaço nas costas, marcado por palavras diversas.
A meia-irmã de Camille, Amma(agora a filha mais nova) tem treze anos e passa as horas brincando em sua casinha de boneca, que na verdade é uma réplica exata da própria casa. Tudo tem que estar perfeitamente e milimetricamente igual a casa original. Quando não está fazendo isso, está aprontando com as amigas.
Amma, além de ser paranoica com a casa, também é agressiva.
Gente, está muito difícil não dar spoiler. Muito difícil.
Com as entrevistas de Camille para o jornal, vamos conhecendo os moradores da cidade. Antigos colegas de escola de Camille, a família das vítimas, o delegado e o agente especial que foi enviado para cuidar do caso.
Então ao logo do livro, você percebe o quanto essa cidade é podre. No sentido figurado da palavra.
São os problemas familiares da Camille, que ficam cada vez piores, os cidadãos que insistem em manter uma venda nos olhos tentando não acreditar que o assassino seja alguém de Wind Gap, ou então acusando o pai ou irmão das vítimas, os chamando de assassinos com a maior frieza do mundo.
O comodismo e conformismo das mulheres em passar suas vidas cuidando da casa, do marido, dos filhos e fazendo fofocas maldosas da vida alheia, achando repugnante e imoral a vida de uma mulher solteira que trabalha e é dona de si mesma. Jogando isso na cara da Camille.
As crianças que são ensinadas isso e a famosa divisão de poder na escola. As garotas mais bonitas e ricas controlam tudo e são cruéis, enquanto o restante tem que abaixar a cabeça e obedecer.
Wind Gap está eternamente contaminada pela desenfreada necessidade de atenção.
Apenas Richard, o policial que foi enviado para cuidar do caso é normal, mas apenas porque ele não é de lá.
Por falar nele, eu o adoro.
O(a) assassino(a) não foi quem eu imaginei, mas não foi uma grande surpresa pelo fato de eu saber que a pessoa era cruel. Foi uma surpresa saber quem foi, mas não foi surpresa saber que a pessoa era capaz disso. O final, foi triste.
Eu não sei se vocês vão conseguir sentir o que estou querendo passar, porque é preciso ler o livro para realmente entender e sentir a complexidade e horror das mentes dos habitantes de Wind Gap. Então, leiam. Simplesmente leiam. Porque Gillian Flynn é fantástica, e esse livro é sensacional. 
Agora vou deixar aqui o booktrailer para aumentar a vontade de quem ficou curioso!!!!(Sou má MUAHAHAHAHAHA)



Beijinhos e até a próxima.
                                                                                                                              Fê.

Aniversário da escritora Paula Pimenta

Oi gente!!!!

Eu sou a Ana Pinheiro (também conhecida como Tink), e hoje (dia 2 de junho) vou fazer um post especial, dedicado a uma pessoa muito especial para mim. Estou sempre fazendo resenha dos livros dela aqui no blog, mas hoje eu quero falar mais sobre ela. A escritora mineira Paula Pimenta, autora das séries fazendo meu filme e minha vida fora de série (entre outros livros), está completando mais um aninho de vida, e o blog além das palavras não poderia deixar essa data passar em branco. 



Nossa, é muuuito difícil falar da Paula sem lembrar da minha adolescência. A primeira vez que eu ouvi falar dela eu tinha apenas uns doze anos. Uma amiga minha tinha acabado de entrar na sala de aula com um livro cor de rosa nas mãos. Lógico que na mesma hora eu achei a capa linda, mas quando eu fui ler a sinopse, comecei a pensar que eu não iria me identificar com a história, pois naquela época eu só gostava de ler o gênero fantasia/sobrenatural. Mesmo assim, no mesmo dia, cheguei em casa correndo para pesquisar mais sobre o livro Fazendo meu Filme. Lembro que na época não tinha tantas informações sobre FMF como tem hoje(era ou 2009 ou 2010) . A Paula estava bem no começo da carreira e ainda não era esse fenômeno literário atual. Por isso o que eu mais encontrei foram comunidades no Orkut dedicadas aos livros dela. Foi então que eu passei a pesquisar mais sobre ela e  comecei a vasculhar os seus perfis nas redes sociais.  

Vocês já ouviram falar em amor à primeira stalkeada? Pois é. Foi exatamente o que aconteceu. Para falar a verdade, eu primeiro virei fã da escritora e em seguida dos seus livros.  Vou explicar o motivo. A Paula me conquistou, primeiramente, pela pessoa que ela é. Uma verdadeira fada princesa que saiu dos contos de fadas para alegrar a vida dos seres humanos. A Paula me conquistou no jeito doce de me responder, na paciência com os meus insistentes emails gigantescos ( ela merece ganhar um troféu por ter aguentado todos os meus milhares de textos longos), mas me conquistou principalmente com o seu carinho para com seus leitores. Sei que muitas pessoas que curtem o gênero fantasia torcem o nariz quando pegam "um simples livro cor de rosa", mas acreditem quando eu digo que os livros da Paula são mil vezes melhores do que os livros sobrenaturais. As palavras dela te enfeitiçam logo nas primeiras linhas, fazendo com que você comece a enxergar a vida real com outros olhos. Antes de ler FMF, eu não via tanta graça em "simplesmente viver", pois eu queria estar dentro dos livros de magia, lutando contra dragões e agentes das trevas. Mas a escrita da Paula me fez ver que a vida real também pode ser encantada. É por isso que eu amo tanto os livros dela.

Apenas em 2012 eu consegui conhecê-la pessoalmente, ou seja, três ou dois anos depois. A Paula sempre foi muito carinhosa com os leitores. Ela ainda hoje faz questão de interagir com todos eles nos lançamentos. Lembro que naquela época eu a enxergava como uma adulta, mas a via como uma menina. Uma menina cheia de sonhos que buscava incansavelmente divulgar o seu trabalho e a sua escrita. Hoje, aos meus 17 anos (infelizmente quase dezoito, já que meu aniversário é ainda esse mês. Aff! Tô detestando a ideia de me tornar maior de idade -_- ), fico olhando para a grande escritora que ela se tornou e me lembrando de quando ela começou... Acho que felicidade não consegue resumi todos os sentimentos que eu sinto por seu sucesso. 

 Agora, aos meus 17 anos, posso dizer que cresci junto com a Fani (personagem de fazendo meu filme). Assisti a sua estreia, a acompanhei na terra da rainha, chorei com seu roteiro inesperado, e suspirei com sua busca pelo final feliz. Mas a Fani não é a única menina que eu vi crescer... Sinto-me privilegiada por acompanhar, há tanto tempo, a carreira literária da nossa escritora mineira. Faz tantos anos que eu venho seguindo a Paula, que eles nem cabem em uma simples montagem de fotos. E pensar que quando eu ouvi falar dela pela primeira vez, através da minha amiga de classe, ninguém mais na escola a conhecia. E pensar que quando eu fui ao lançamento de apaixonada por palavras, não precisei chegar horas mais cedo e ainda sim fui uma das primeiras senhas. E pensar que hoje em dia é um verdadeiro jogos vorazes para poder encontra-la. Estou muito orgulhosa com o seu crescimento, tanto nacionalmente como internacionalmente. E também fico muito feliz de ter crescido junto com essa eterna princesa. Espero que o sucesso dela só aumente e que todos os seus sonhos possam se realizar. 



 Eu e minha colega de blog ( que recentemente se tornou a mais nova pimentinha!Vivaaa!!!) vamos deixar registrado aqui um recadinho de aniversário para a Paula. Nós duas a amamos muito e estamos torcendo para vê-la agora em junho, no lançamento de minha vida fora de série 3. #Chegalogo #quevenhamvfs3

Ana Pinheiro:

"Paula, FELIZ ANIVERSÁRIO!!! Cara, é incrível como o tempo passa e a minha admiração por você não diminui. Vários anos se passaram desde o primeiro dia em que ouvi o seu nome, mas os meus sentimentos não mudaram, muito pelo contrario, eles apenas cresceram. Foi o amor à primeira stalkeada mais verdadeiro que eu tive durante todos esses anos. Já te escrevi milhares de vezes contando o motivo de te amar tanto. A sua escrita me preencheu quando nenhum outro livro conseguiu me preencher. Você sabe que o meu filme estava preto e branco, até que suas palavras entraram em cena e mudaram o meu roteiro. Por isso eu te desejo toda a alegria do universo. Desejo que a saga do seu filme seja produzida com as melhores trilhas sonoras desse mundo. Um grande beijo! -Tink"


Fernanda Cipriano:

"Por que é tão difícil falar sobre algo que gostamos? Nem sei por onde começar.... Há um tempo vinha escutando minhas amigas falarem sobre Fazendo Meu Filme, "Fê, você tem que ler!". E eu ficava, "Um dia eu vou ler!". E eu realmente queria que esse dia chegasse logo, porque eu passei tanto tempo escutando que os livros eram incríveis e acompanhando a euforia delas a cada livro lançado, que quando eu finalmente comprei o primeiro, eu já sabia que ia ser incrível. Mas não pensei que fosse me apegar tanto e me tirar o sossego. Fiquei encantada desde a primeira página! Me apeguei tanto aos personagens e me vi tanto na Fani em alguns momentos. Fazendo Meu Filme me fez lembrar muito de quem eu já fui, me levou a lugares que eu sou louca para conhecer, me fez sentir um misto de emoções e me fez querer ter um amor digno de filme como a da Fani e do Leo. Ou melhor, me fez querer ter um Leo no meu filme. Considero a Paula sem dúvida nenhuma, uma das melhores escritoras que já li, e neste dia mega especial gostaria de agradecê-la e parabenizá-la por ter criado uma história tão linda, com personagens tão especiais, que eu vou levar comigo para o resto da minha vida. Parabéns pelo seu dia e por todo o seu talento. Você merece todo o sucesso, toda a felicidade do mundo e munto mais. Da sua nova fã, -Fernanda”


Para encerrar fiz um vídeo para homenageá-la. Esse vídeo possui imagens das minhas outras amigas que também são pimentinhas assumidas. Quero agradecer a Airam, a Karina e a Marcela por dividirem comigo momentos inesquecíveis nos lançamentos dos livros da Paula e fora deles também. Quero agradecer também a minha inseparável amiga e colega de blog, Fernanda Cipriano, por colaborar com o vídeo e me ajudar na difícil missão de escolher uma boa musica. Agradeço também a Paula, por sempre colorir a minha vida e por fazer parte do meu filme.



Por hoje é só, pessoal.

Beijinhos!
-Tink

Resenha Cinderela Pop

Oi gente!

É com muito prazer que venho fazer a resenha do livro Cinderela Pop da Paula Pimenta.

OBS: Babando nessa capa!

Pra quem não sabe, esse livro se originou de um conto, escrito pela mesma autora, junto com outras três escritoras, que escreveram sobre as princesas nos dias de hoje, ou seja, princesas modernas.

(O livro das princesas) 

Cada escritora, sendo duas brasileiras e duas internacionais, tinha que escolher uma princesa e recriar sua história.


O conto que a Paula Pimenta escreveu sobre a Cinderela, fez tanto sucesso, que a Galera Record convidou-a para escrever uma coleção inteira de princesas modernas. O primeiro livro dessa coleção foi lançado ano passado e se chama Princesa Adormecida. Esse ano foi a vez da Cinderela voltar as livrarias, mas com sua história mais detalhada.

O que será que a Paula aprontou com a história da já conhecida DJ Cinderela? 

(Lindas, né? Duas princesas)

Sinopse do livro: 

A versão estendida do conto publicado em O livro das princesas!
Cintia é uma princesa dos dias atuais: antenada, com opiniões próprias, decidida e adora música. Essa princesa pop morava com os pais em um castelo enorme de onde via toda a cidade. Todas as noites, ela olhava pela janela, de onde ficava admirando a vista e sonhando com um príncipe que ainda não conhecia.
Porém, um dia, o castelo de Cintia desmoronou e com ele tudo à sua volta. Com a separação dos pais, ela vai morar com a tia, se afasta do pai e, principalmente, deixa de acreditar no amor.
Ela só não contava com um detalhe… Havia mesmo um belo príncipe encantando em sua história. E tudo o que ele mais queria era descongelar o coração da nossa gata (nada) borralheira!

Bom, vou começar essa resenha comentando da capa, que está muito linda! Definitivamente a Galera Record se superou dessa vez. O acabamento do livro melhorou MUITO, em relação ao conto que foi publicado no livro das princesas, algo que foi bem positivo e a primeira coisa que eu reparei ao folhear as paginas.
Livros sobre as princesas não são o meu forte, não porque eu não goste delas (eu adoro elas!), mas porque o meu gênero literário é mais fantasia/sobrenatural. Porém os livros da Paula têm a função de abrir uma exceção na minha estante e no meu gosto literário. A dinâmica desse livro é muito boa, pois a cada pagina que passava, eu ficava mais eufórica. Cinderela pop é uma história divertida e que mexe com as emoções. Em vários momentos eu fiquei me contorcendo, rindo, xingando ( e xingando muito!), me descabelando e só sosseguei quando a história terminou. A Paula sabe como prender a atenção do leitor. A leitura não é monótona, muito pelo contrario. E mesmo eu, que já conhecia essa história porque já tinha lido o conto no livro das princesas, fiquei inquieta do inicio ao fim. 
Nesse livro eu pude conhecer mais dos personagens e me conectei mais ao clima da história. Justamente por ser uma versão estendida, os acontecimentos se tornaram mais naturais. Um ponto mega positivo foi a trilha sonora escolhida para as situações que ocorriam. Quem já leu as minhas resenhas sabe que eu sou uma pessoa muito musical. Por isso amei a ideia da Cinderela ser uma DJ e o príncipe ser um cantor <3.

E é isso, pessoal. Gostaria de falar mais coisas, mas tenho muito medo de dar spoilers. Recomendo a leitura para todos que gostam (ou já gostaram) de princesas. A Paula realmente conseguiu deixar uma história clássica, bem contemporânea. Vale a pena conferir!  :) 


Beijos
-Tink

OBS: Meus sinceros parabéns pra quem fez essa capa maravilhosa! Gostei tanto da capa desse livro, que até mandei fazer uma caneca com a imagem dela <3





Fui!
-Tink

Resenha: Os Assassinos do Cartão-Postal



"Emily e Clive Spencer são felizes e recém-casados, curtindo a lua de mel em Paris, onde fizeram dois novos amigos: Sylvia e Mac Rudolph.
Eles são divertidos, sexy e muito interessantes. Tanto que um convite para o quarto deles parece uma promessa inquestionável de uma noite louca e perfeita.
Porém Emily e Clive estão prestes a ser assassinados.
Enquanto isso, em Berlim, Jacob Kanon, um detetive da divisão de homicídios do Departamento de Polícia de Nova York, bebe vinho em seu quarto de hotel, analisando minuciosamente  alguns cartões-postais. Embora pareçam inocentes, eles contêm mensagens enviadas por assassinos em série que andam atacando em toda a Europa, degolando jovens casais. Angustiado, Jacob persegue os criminosos de maneira obsessiva, dedicando cada minuto de sua vida à prisão dos monstros que mataram sua filha.
A quilômetros dali, em Estocolmo, a jornalista Dessie Larsson sofre em mais um dia de trabalho. Avessa à fama e ao sucesso, quer apenas levar sua vida em paz, escrever boas histórias, se recuperar do fim de um relacionamento e finalizar sua tese de doutorado.
Mas ela acaba de receber um cartão-postal... "

Oiee, como vocês estão??  Preparados para mais uma resenha? Espero que sim, pois hoje eu vim com um livro muito bom.

Eu já tinha lido várias resenhas que falavam muito bem sobre esse livro e ele foi mais uma das minhas aquisições na Bienal. Foi o primeiro livro do James Patterson que eu li e agora coloquei os outros livros dele na minha lista, pois amei a sua escrita, e amei Os Assassinos do Cartão-Postal.
Jacob é um policial de Nova York que perdeu sua filha e agora está atrás dos assassinos, que são bem peculiares.
As vítimas são sempre mortas com um corte na garganta e depois de matá-las os assassinos tiram uma foto Polaroid das vítimas e enviam para algum jornalista junto com um cartão-postal.
Dessi, uma jornalista de Estocolmo acaba de receber um cartão-postal, e é aí que eles - Jacob e Dessi- se conhecem e passam a continuar investigando o caso.
Gente, muita coisa acontece nesse livro. Ele é divido entre os pontos de vista de Dessi, Jacob e dos assassinos. Ao longo da história vamos descobrindo mais sobre a trajetória deles, e o motivo dos assassinatos, que como eu disse, é bem peculiar.
Eu amei o livro, acho que é o segundo livro de suspense que eu leio, e já me apaixonei pelo gênero, simplesmente preciso de mais.
O livro todo é muito bom, mas o final realmente me tirou o fôlego!!
Super indico e espero conseguir comprar logo os outros livros do James(já estou íntima u.u kkkkk)!
Beijinhos e até a próxima!!
                                                                                                                        Fê.

Resenha: Garota Exemplar


"O CASAMENTO MATA.
Amy Dunne desapareceu. No dia de seu quinto aniversário de casamento, seu marido, Nick, encontra a casa revirada e nem sinal da esposa. Tudo indica se tratar de um sequestro, e Nick imediatamente chama a polícia, mas logo as suspeitas recaem sobre ele. Exibindo uma estranha calma e contando uma história bem diferente da relatada por Amy em seu diário, Nick parece cada dia mais culpado, embora continue a alegar inocência.
A medida que as revelações sobre o caso se desenrolam, porém, fica claro que a verdade não é o forte do casal.
Alternando entre os pontos de viste de Nick e Amy, Garota Exemplar - um Best-Seller que conquistou público e crítica e já vendeu mais de 3 milhões de exemplares em todo o mundo - traça o retrato cruel sobre como as mentiras podem construir um relacionamento. E também destruí-lo."

GENTE DO CÉU. PARA TUDO. QUE LIVRO É ESSE GENTE??
Antes de começar a resenha, preciso dizer: " Gillian Flynn é um gênio! ".
Eu estava muito ansiosa para ler esse livro,consegui comprá-lo na Bienal, mas só fui lê-lo agora, acreditam? E a pergunta: Por que eu não li esse livro antes? 
A resposta: Porque sou burra.
Gente, sério, não importa o quanto eu fique aqui falando sobre esse livro com vocês, nunca vai ser o suficiente, porque só lendo para perceber o quão fantástico, genial e extraordinário é esse livro. Eu fiquei completamente louca enquanto lia, não sabia mais o que pensar, cada hora era uma emoção diferente, uma pista diferente, uma revelação diferente. E não era qualquer revelação, era aquele tipo de revelação que te faz parar, fechar o livro e pensar: "PQP, essa mulher é um gênio". E você fica por uns cinco minutos assim, não acreditando no que está acontecendo.
Eu ainda estou absorvendo tudo o que aconteceu porque é realmente inacreditável. O desenvolvimento dos personagens, do enredo, tudo, tudo, tudo, tudo. E o final é completamente inesperado.
A resenha vai ser curta, mas é porque eu realmente não consigo expressar a genialidade dessa mulher, eu necessito de TODOS os livros dela, para ontem.
Leiam esse livro gente. LEIAM, LEIAM, LEIAM. Esse livro realmente me fez surtar!
Beijinhos e até a próxima.
                                                                                                                       Fê.


Resenha: Correr ou Morrer

Oi gente!
Fiz essa resenha em vídeo para tentar expressar o quanto eu gostei de Maze Runner. Acho que não existem palavras para descrever a forma que o livro me deixou eufórica! Espero que vocês possam ler. E as pessoas que já leram, falem aqui sobre o que acharam :) . Depois eu faço uma resenha escrita.


Beijinhos!
-Tink 

Série: Jovens Escritores


Olá pessoal!

 Hoje eu vou entrevistar um jovem escritor que é um garoto talentosíssimo! Lucas Mendes tem 17 anos, é dono do blog boy lit, adora escrever crônicas, e está publicando seu primeiro livro chamado: As trágicas consequências dos apaixonados. 






1)Lucas, fale um pouco sobre você.

R: Meu nome completo é Lucas Mendes Gabriel Silva (o "Gabriel" é realmente um sobrenome de família), sou de Campinas - SP e tenho dezessete anos. 

2) Quando surgiu sua paixão por livros? Como aconteceu?

R: Eu aprendi a ler aos seis anos e foi bem nessa época que li meu primeiro livro: Sítio do Pica-Pau Amarelo do Monteiro Lobato. Eu achava incrível todas aquelas histórias e adorava o fato da obra não ter tantas ilustrações, pois eu adorava imaginar como cada personagem era. Eu queria ler mais e mais, então minha avó começou a me levar à Biblioteca Municipal, o lugar que me viciou completamente em livros, e que se tornou minha segunda casa. 

3) Quando surgiu sua paixão pela escrita? Como aconteceu?

R: A leitura e o teatro foram duas coisas que me influenciaram a escrever. Eu achava fascinante a ideia de criar uma história! Eu fazia aulas de teatro e criei um clube meio improvisado no colégio, onde encenávamos os meus textos adaptados. Eu pegava um texto pequeno, na maioria sem diálogos, e o reescrevia: com drama, "emoção" e vários diálogos. Isso foi o início. Eu tive tantas "fases de escrita" que nem consigo contar, haha. Hoje o meu estilo já se estabeleceu. Escrever crônicas e contos se enquadram mais com minhas expressões e linguagem, mas quero muito expandir minha escrita e sair da minha zona de conforto. 


4)Qual é seu gênero literário preferido?


R: Eu sou muito curioso, então se vejo um livro que aborde assuntos que eu quero descobrir, eu o leio, independente do gênero. Mas o que eu mais leio no dia a dia são crônicas e chick-lit. Acho que são estilos que têm mais a ver com o que eu escrevo, então acaba sendo inspirador de alguma forma. Além disso, são leituras leves, descontraídas e me fazem bem.


5) Fale sobre o seu livro.

R: Meu livro se chama As Trágicas Consequências dos Apaixonados e é narrado por um garoto que se autodefine "Menino de Gelo". Acho que essa identidade combina bastante com ele, já que é tão frio em relação ao amor. Ele afirma que não precisa de outra pessoa pra ser feliz e que devemos ter amor-próprio ao invés de chorar por decepções amorosas. Pra provar que ele está "certo", narra vários casos constrangedores de seus amigos, sempre deixando uma reflexão no fim de cada texto.


6) Como foi o processo de escrita dele?

R: O livro começou com uma crônica. Eu escrevi ela de madrugada, após ouvir três amigas minhas chorando pelo mesmo motivo: levaram um fora de um cara. Naquela época, eu era bem parecido com o Menino de Gelo, então narrei o texto com essa perspectiva irônica. Eu o li pra elas e elas amaram, dizendo que era muito hilário e que eu deveria escrever mais textos parecidos. Isso foi o que me motivou a escrever vários casos de pessoas que conheci e até mesmo histórias que meus pais me contaram, todas sobre decepções amorosas de adolescentes, defendendo o ponto de vista do protagonista.

Quando eu fui ver, já tinha escrito um romance! Um romance de pequenos textos. O que mais me surpreendeu no processo todo, foi ver que eu cresci junto com meu personagem. Foi incrível e muito significante pra mim.


7) Como foi o processo de publicação?

R: Inicialmente, eu liberava alguns textos no meu blog. Depois eu publiquei ele no aplicativo Wattpad, onde recebi comentários ótimos que até me emocionaram. Mais tarde, a Kel Araújo do blog Por uma boa leitura (que se tornou minha amiga) me deu a ideia de publicá-lo em KDP na Amazon. Isso poderia dar uma grande visibilidade para o livro, uma boa oportunidade. Então eu pesquisei mais sobre o sistema, e adorei! É muito simples e prático, além de seguro. O livro estaria disponível em e-book em vários países em questão de horas e isso é muito bacana! Acredito que o maior sonho de um autor é compartilhar suas histórias e estou dando o máximo de mim por isso. 


8) Qual foi a reação de seus amigos e familiares quando você
disse “quero publicar esse livro”?


R: Meus amigos me apoiam muito nos meus sonhos e ficaram felizes em estarem "presentes" na história. Tiveram pessoas que ficaram bravas por não terem "ganhado um personagem" no enredo e explicar que aquilo era uma ficção baseada em verdades foi uma longa saga!

Minha família é incrível e eles dão o maior suporte pra mim e acreditam no meu potencial. Sou muito grato a cada um deles.


9) Quais são as suas maiores inspirações?

R: Existem vários autores que servem de inspiração para mim, porém mais no sentido de admiração. Candace Bushnell, Sophie Kinsella e Meg Cabot são mulheres sensacionais, que considero um símbolo da observação do comportamento humano. Martha Medeiros e Paula Pimenta são meus orgulhos nacionais e pessoas que me fazem acreditar que meu sonho é possível. Existem muitas coisas que me inspiram o tempo todo e, uma delas, é a simplicidade. 


10) Quais são seus projetos e sonhos futuros?


R: Eu estou me dedicando muito no meu blog (boy-lit.com) e quero muito ter um exemplar físico do meu livro (estou lutando por isso, não é fácil), mas eu gosto de um desafio e acredito em mim mesmo. Autoconfiança nunca é demais. Também quero ter algumas experiências acadêmicas e continuar observando o cotidiano.


11) Onde as pessoas podem encontrar seu livro?

R: O livro pode ser encontrado na Amazon, neste link: 

E é isso gente. Amei entrevistar o Lucas. Eu realmente sou uma grande fã do blog e das crônicas dele. Posso garantir que vale a pena conferir! 

Beijinhos!
-Tink