Bienal de São Paulo Com Jennifer Niven

Introdução


Oi gente!

Hoje estou aqui para falar sobre a bienal mais doce da minha vida. Quem foi na bienal de 2014 em São Paulo, sabe o quanto aquela edição foi traumática para muitos! Porém a organização do evento evoluiu com os erros e soube fazer com que a edição 2016 fosse mais agradável para o publico. 

Eu e minhas duas amigas que foram comigo na bienal passada, combinamos de ir no sábado dia 27 de agosto. Uma delas dormiu na minha casa e a outra que já mora em São Paulo foi direto. Vale fazer uma observação e dizer do quanto fiquei feliz de ir com elas, porque muitos falaram que amizade de ensino médio não dura, mas nós continuamos amigas e pudemos aproveitar esse evento para relembrarmos cada momento vivido. E principalmente, pudemos relembrar o verdadeiro sufoco que passamos juntas para conseguir ver a Cassandra Clare e Kiera Cass.

(2014 x 2016)

A feira do livro


Como esse ano algumas das distribuições das senhas foram onlines,  eu pude aproveitar mais da feira do livro em si. No sábado do dia 27, a bienal não estava tão cheia, então dava para sair dançando pelos corredores e comprar livros a vontade (embora eu tenha comprado poucos livros). Eu e minhas amigas andamos bastante, conversamos muito, ficamos jogadas no chão, andamos mais um pouco, visitamos mais estandes e passamos o dia juntas. 
Eu estava planejando encontrar três escritoras MUITO queridas para mim! Três fofas maravilhosas que ocupam uma grande parte do meu coração. Na verdade queria ver quatro escritoras, mas infelizmente tive que ir embora antes de eu encontrar a Ava Dellaira em uma sessão extra de autógrafos que teria no sábado de noite. 
Logo no começo da Bienal fui direto para o estande da editora autentica ver a escritora brasileira Babi Dewet. Ainda bem que minhas amigas estavam comigo, pois eu comecei a ficar bem nervosa para entrar na fila e dar um abraço nela. Imagina você conversar com a pessoa pela internet e de repente essa pessoa aparece na sua frente? Sim, eu quase explodi de alegria. Não vou falar muito sobre meu encontro com a Babi porque eu pretendo fazer um post falando sobre ela e seu novo livro que eu comprei: Sonata em Punk Rock. Mas vou deixar uma das fotos aqui que representa melhor esse momento.


No comecinho da noite, antes de ir embora, também vi a escritora brasileira Paula Pimenta, e consegui fechar meu dia com chave de ouro! A Paula continua uma fofura e foi uma simpatia comigo e com todos os outros. Quando eu for fazer resenha da nova HQ de FMF, contarei mais sobre a sessão de autógrafos com ela. 

Bate papo com a Jennifer Niven


Gente, agora vou compartilhar um momento extremamente especial para mim. Um momento que eu estava esperando há muito tempo e ainda nem acredito que realmente aconteceu. Finalmente conheci pessoalmente a escritora americana Jennifer Niven, que escreveu com maestria o inspirador livro Por lugares incríveis/All the bright places . Estou sem palavras para descrever o quanto AMO essa mulher e o quanto ela me faz bem!!!! Ela dá muito amor para os leitores e por isso é uma pessoa que merece receber todo o carinho do universo!
Quando deu o horário do bate papo, eu e minhas amigas fomos para a arena cultural esperar a Jennifer chegar. Eu NUNCA tremi TANTO na minha vida! 

Quando ela chegou no bate papo, meu amor por ela que já era MUITO grande, dobrou de tamanho. Eu não consegui tirar fotos do bate papo porque eu tive uma séria crise de nervosismo. Foi extraordinário ver que ela é tão amorosa pessoalmente como eu imaginava. Minha felicidade por vê-la não cabia dentro de mim. Eu já tinha falado com a Jennifer pelas redes sociais e sabia o quanto ela era incrível com os leitores, mas ainda assim consegui chorar litros com a doçura dela ao mostrar que cada um de nós eramos especiais , e isso foi muito importante para mim. A Jennifer é o tipo de pessoa que te ouve chorar e te consola, mesmo a distancia. Ela ama verdadeiramente cada leitor de qualquer lugar do mundo e não esconde esse amor de ninguém, muito pelo contrario, faz questão de mostra-lo para todos. Ela é um anjo de pessoa que faz seus leitores se sentirem amados e necessários. E por isso eu só tenho coisas boas para falar sobre ela. Ela já me ajudou e sempre será uma grande inspiração para mim. A Jennifer tem uma alma doce com um enorme e lindo coração, capaz de ajudar qualquer pessoa com suas amorosas palavras. Confesso que se a editora seguinte, que traduziu Por lugares incríveis, resolver lançar os outros livros escritos pela Jennifer, comprarei todos na mesma hora, não importa a temática, a escrita dela é muito profunda e só posso esperar coisas boas de suas outras obras.

No bate papo a Jennifer falou sobre temas como depressão, bipolaridade e dificuldades emocionais, temas abordados em seu livro e tidos como um grande tabu pelas pessoas (principalmente os adultos). Geralmente, sempre que eu participo de bate papos com escritores, eu não costumo perguntar nada. Mas dessa vez eu queria ser diferente e participar de todas as formas possíveis para tornar o meu encontro com a Jennifer o mais lovely. Quando foi aberto para perguntas, eu levantei minha mão e a moça me deu o microfone para eu ser a segunda a perguntar. Eu já tinha pensado o que eu queria falar, mas quando eu fiquei em pé e vi a Jennifer  naquele palco olhando para mim, COMECEI A CHORAR! GENTE, EU AMO ESSA MULHER E TER VISTO ELA OLHANDO PARA MIM FOI ALGO INEXPLICÁVEL E LITERALMENTE EXPLODI DE AMORES POR ELA! Na hora de falar, a pergunta não saia, porque me deu um grande ataque de agitação. Sério, tive uma crise nervosa tão grande que minhas mãos não conseguiam segurar o microfone porque estavam tremendo, e eu não conseguia falar NADA porque estava chorando! Eu realmente estava em lagrimas! Logo eu percebi que não estava em condições de falar e eu estava consumindo o tempo do bate papo, então desisti de fazer a pergunta e sentei, mas minhas amigas não deixaram eu desistir e peguei o microfone de volta. Finalmente eu consegui falar, embora a pergunta não tenha saído do jeito que eu tinha planejado, porque eu estava  nervosa demais para falar de um jeito bonitinho.

Minhas duas amigas gravaram eu falando, caso vocês queiram ver, é só clicar no video. Eu ia colocar  um video melhor deste momento, mas não consegui baixa-lo aqui no post, então vai esse mesmo.

A pergunta que eu iria fazer era assim: no livro Por lugares Incríveis/All the bright places os protagonistas visitam vários locais turísticos para um trabalho de escola, e antes de irem embora, eles levam souvenirs como lembranças desses lugares, mas eles também deixam para trás objetos seus para que o lugar também tenha lembranças deles. Com base nisso eu queria saber se a Jennifer pretendia deixar alguma coisa aqui no Brasil.

Como eu estava bem tensa, não consegui perguntar exatamente desse jeito, saí falando as primeiras palavras que vinham na minha mente, mas ao final da pergunta, as pessoas fizeram "awwn". Aí entra a melhor parte! A Jennifer, fofa como sempre, disse: "Amei essa pergunta". Depois ela olhou nos meus olhos e antes de responder disse: "Hi Ana!". Pausa pra falar que eu faleci nessa hora!!!!!!! QUE MULHER INCRÍVEL É ESSA???? Gente, imagina a escritora que você tem um carinho IMENSO TE CHAMAR PELO SEU NOME???!!!!! GENTE, ELA ME CHAMOU PELO MEU NOME!!!!!!!! ELA OLHOU NOS MEUS OLHOS!!! VOCÊS TEM IDEIA DO QUE É ISSO?????!!!! EU SIMPLESMENTE EXPLODI DE AMORES POR ELA!!!! A Jennifer não é só mais uma escritora que eu gosto, ela é um anjo de pessoa que me ouviu quando eu precisei falar com ela pelas redes sociais. Acho que nada do que eu escrever vai dizer o quanto foi importante para mim vê-la e ser vista por ela! Eu sempre guardarei esse dia no fundo do meu coração! E espero que ela volte em breve, pois eu já estou morrendo de saudades! 

Ao final do bate papo fui para a fila da sessão de autógrafos. Pude ver por algumas horas ela abraçando cada leitor, ela conversando com cada leitor, ela consolando cada leitor que foi vê-la! Muitas pessoas choravam em seu ombro e ela não afastou ninguém. Muito pelo contrario. A Jennifer realmente ficou ali firme e pronta para ouvir cada desabafo. Infelizmente, quando estava chegando a minha vez, a editora seguinte começou a apressar um pouco as pessoas porque estava acabando o tempo. Eles foram gentis e não foram grossos conosco, mas eu fui ficando triste ao perceber que bem na minha hora de abraçar a mulher que me inspira todo dia, eu teria que ser bem rápida por causa do tempo. Porém entendi completamente que a fila precisava andar mais rápido para todos serem atendidos.

Quando chegou minha vez, fui abraça-la e ela foi uma fofa! Perguntou como eu estava, perguntou se eu havia gostado do seu livro, mas eu não consegui falar nada. Vê-la sorrir para mim foi a melhor parte do meu dia. Gente, a Jennifer merece todo o amor do mundo. Ela dá muito amor para os leitores e comigo não foi diferente. Ela foi conversando comigo enquanto assinava meu livro e me agradeceu por estar ali. Eu me senti querida para ela nos poucos segundos que a abracei. O abraço da Jennifer é um dos abraços mais aconchegantes que eu já recebi. Queria ter dito tantas coisas para esse doce de pessoa, só que infelizmente não disse nada. Entreguei meu presente para ela, que foi uma almofada personalizada com uma foto que estava escrita: "You make me Lovely" (quem já leu Por lugares Incríveis vai entender a referencia da frase). E também fiz uma toalhinha vermelha com uma pequena homenagem pessoal para ela. Ela pareceu surpresa com o presente e gradeceu mais uma vez. Tiramos a foto e saí dali. Na mesma hora que saí, um forte vazio e uma profunda tristeza cresceram dentro de mim. Nunca, eu repito, nunca senti uma saudade tão grande logo depois de sair de uma sessão de autógrafos. Meu coração doeu por querer ter dado pelo menos um ultimo abraço nela, ter pelo menos mais uma chance de falar o quanto ela era importante e especial para mim. Eu queria ter expressado todo o meu amor por ela, mas por causa da minha timidez, não consegui. Fiquei me detestando e me odiando por uns dias por causa disso, o nervosismo me atrapalhou de viver plenamente aquele lindo momento, mas estou confiante que essa não será a ultima vez que a verei. Tenho esperança que um dia a reencontrarei, que poderei dar todos os braços que não dei dessa vez e que esse ano foi só o primeiro de outros anos que a verei pessoalmente.

Felizmente até lá meu coração será cheio das boas lembranças desse dia maravilhoso com essa escritora maravilhosa! A Jennifer será sempre um lugar brilhante para mim, assim como ela disse pelo twitter que eu sou um lugar brilhante para ela.



(Foto postada pela Jennifer mostrando os presentes)
PS: olha a almofada que eu dei ali!!!!!


Sempre estarei aguardando o dia em que esse anjo voltará para o Brasil. E espero poder finalmente demonstrar o quanto ela é amada e necessária para mim.

Espero que tenham gostado do post pessoal! 

Beijinhos!

-Tink












Série Jovens Escritores

Oooooooi gente, tudo bem??? Vim trazer uma entrevista super legal que eu fiz com o escritor Iã Felipe Arruda.
Conheci ele através do livro de contos Marcas Eternas (comentei sobre ele no vídeo de Recebidos do Mês), me apaixonei pelo conto e resolvi entrar em contato!

Agora chega de papo e vamos logo ao que interessa!

ENTREVISTA


1)Eu sempre ouvi falar de gente que diz que decidiu ser escritor logo na infância, tenho até uma amiga que seu primeiro amor foi o cebolinha, com você foi assim também?
Foi. Eu lembro que quando eu tinha uns 10 anos eu recortada as fotos de pessoas em revistas e colava num caderno pra escrever sobre elas. Então eu começava a criar a historia dessas pessoas o que era muito engraçado porque todas sempre acabavam mortas no final kkkkk.
Além disso, meu avô escrevia, então sempre tive algum estímulo.
2)Eu vi no seu blog que você coloca uma música para os textos. Elas que te inspiram a escrever o texto elas acabam vindo depois, tipo: "Nossa, isso me lembra muito tal música!"?

Os dois. As vezes eu estou num momento e escutando uma música. Então eu penso: essa música fala exatamente o que eu estou pensando. Então eu escrevo sobre meus sentimentos e tento encaixar a música no texto. Eu amo música, mas não sei cantar e nem tocar nada. Queria muito compor músicas, mas nem sei como segurar um violão direito kkkkkk.
Então só tento juntar as duas coisas.


3)Que músicas você costuma ouvir?

Eu escuto muita coisa. Não tem nada que eu diga, ah, eu só escuto tal coisa... porque não é verdade. Minha playlist no celular é uma zona, você vai encontrar indie, pop, rock, funk e por ai vai.
Ultimamente estou numa de gostar da Sia. Kkkkk
4)O que você gosta de fazer no seu tempo livre, além de escrever?
Assistir séries. Comprei o Box com as 10 temporadas de Friends recentemente é desde então não sei mais o que é viver hahaha

·     5)Você disse que sempre escreveu, mas quando foi que você sentiu que isso poderia se tornar algo maior e resolveu escrever um livro? E qual foi esse livro?

Lembra do Orkut? Então, começou lá Kkkkk Ou quase isso....
Eu era muito apaixonado por uma menina quando tinha 16 anos. E a gente era bem amigo e de igreja. E eu queria falar o que eu sentia pra ela e pra resumir, não deu muito certo. Então eu resolvi pedir desculpas e escrevi num caderno velho uma história que era baseada na nossa... se chamava "Aurora" a historia.
Ai entra o orkut.
Eu tinha uma amiga que me apresentou as web novelas. Eu não sei se você viveu essa fase também. Mas era tipo, uma comunidade no Orkut onde você escrevia e os outros liam e comentavam.
Tinha muito coisa legal e muito coisa ruim também com muita visualização. E essa amiga me incentivou a postar minha história numa comunidade.
Então eu criei minha primeira web novela com aquela história que passou por uma reformulação e ganhou outro título. Virou, "Não se apaixone por mim".
Na época eu tive mais de 5mil leitores. Quando todos migraram para o Facebook eu resisti por conta da comunidade, já que hoje ela não existe mais. Depois disso eu continuei escrevendo, lendo muito e tentando me profissionalizar. Eu estudo letras.
E sempre que tenho um oportunidade de mostrar minha escrita eu mostro.

·     6)Como surgiu a oportunidade de publicar o conto no Marcas Eternas?
      Eu tenho uma amiga que já tinha publicado um conto pela mesma editora, dai ela me indicou. Eu fui investigar melhor e resolvi tentar a sorte.

·      7)Além desse, você já participou de algum outro projeto do tipo?

Não. Esse foi o único, até agora.

8)Espero que ainda venham muitos!!!!! Quais são seus planos para o futuro??

Tomara!
Plano... Não sou muito de planejar, sabe... Mas fiz uma lista com 100 coisas que quero fazer antes de morrer, então vou tentar realizar os itens
Ahahahaha
·     
      9)Se você pudesse passar o dia com um escritor ou escritora, qual seria?

Sara Shepard. Ela escreveu Pretty little liars, sabe? Eu li todos os livros lançados pela Rocco e estou me roendo para ler os dois últimos da serie. Queria poder entender da onde ela tira tanta história pra contar e entender o processo criativo dela que deve ser espetacular.

Bom gente, foi isso, eu espero que vocês tenham gostado da entrevista, pois eu adorei fazê-la!
O Iã também já escreveu uma nova história, porém infelizmente ele ainda não conseguiu nenhuma editora para publicá-lo. Estou na torcida para alguma editora aceitar o livro pois só pelo o que ele me contou da história já deu pra ver que é INCRÍVEL. Vou colocar aqui para vocês o que ele me contou:

"É sobre um casal de amigos que estão no último ano do colegial tentando descobrir o que fazer depois da formatura. Mas eles brigam e se afastam e a história segue com cada um tentando achar seu lugar no mundo. Até que eles fazem as pazes, depois de uma série de desventuras.
Porém, algo muito grave acontece e eles acabam sendo separados novamente, só que para sempre.
Tem muita reflexão sobre sonhos, amizade, autodescoberta..."
Quem quiser comprar o livro Marcas Eternas para conferir o conto do Iã e de outros autores também, o livro está disponível no site da Editora Andross!
Super recomendo o livro e o conto e desejo muuuuuito sucesso ao Iã. Espero encontrá-lo em muitos eventos e Bienais para autografar meus livros kkkkkkk.
Beijinhos e até a próxima.
- Fê.

Entrevista com Ava Dellaira

Oi gente!

Hoje o post vai ser bem especial pra mim, pois tive a chance de conversar um pouco com a escritora americana Ava Dellaira, autora do livro “cartas de amor aos mortos”, publicado aqui no Brasil pela editora seguinte. Desde quando eu li o livro, entrei em contato com a escritora e trocamos umas mensagens. Agora nesse começo de ano fiz uma curta entrevista com ela, que me respondeu prontamente, apesar de estar bem compromissada com alguns projetos.




Se você ainda não teve contato com “Cartas de amor aos mortos”, deixarei logo abaixo um vídeo em que a própria Ava manda um recado para os brasileiros, na época em que o livro estava prestes a ser lançado aqui, falando um pouco da sinopse. 



Nessa pequena entrevista, tentei perguntar coisas referentes ao livro dela, artistas que a inspiram de alguma forma, o filme que está por vir e se ela planeja dar uma passadinha pelo Brasil. Confiram agora cinco perguntinhas e o que a Ava me respondeu sobre cada uma delas. ;)

Olá! Eu sou uma grande fã brasileira e em primeiro lugar gostaria de agradecer por aceitar a dar uma entrevista para meu blog. Saiba que estou muito feliz!


1)Seu livro, Cartas de amor aos Mortos, possui uma narrativa tão profunda, que fez vários jovens se identificarem. Como foi que você desenvolveu essa escrita tão intensa?

R: Quando eu estava escrevendo "Carta de Amor aos Mortos", eu tirei várias coisas das minhas próprias memórias da adolescência, minhas amizades e da minha relação com minha irmã mais nova. Eu também tirei bastante inspiração dos romances que eu amo, do meu estudo de poesia e do trabalho de vários músicos, autores e atores para os quais a Laurel escreve. Eu perdi minha mãe alguns anos antes de começar a escrever o livro e assim como as cartas de Laurel ajudaram-na a se curar, acredito que escrever o livro fez o mesmo por mim.

2)Assim como Laurel, muitos jovens usam o meio artístico e musical para se conectar com o mundo. Porém muitos deles também encontram essa conexão através das paginas dos livros. Como é pra você, sendo uma escritora, perceber que seus leitores criaram uma identificação com a sua história, ao ponto de torna-la fonte de inspiração?

R:  É absolutamente incrível! Faz com que eu me sinta muito honrada!

3)A cultura pop está muito presente em cada pagina da sua obra, principalmente citando artistas que já morreram, mas que deixaram vivo um legado musical e pessoal. Entre os cantores e atores de hoje em dia que permanecem vivos, quais deles você acha que transmite uma mensagem profunda a ser refletida?

R: Eu acho que há muitos, muitos artistas incríveis fazendo maravilhosos e relevantes filmes e músicas, são muitos para nomear! Bon Iver, Beach House, Tame Impala, Hozier são alguns dos artistas contemporâneos nas minhas várias playlists de "Carta de Amor aos Mortos". Atualmente eu ando ouvindo Kendrick Lamar.

4)Eu soube que "Cartas de amor aos mortos" em breve vai virar filme. Como está o processo de produção? Já existe alguma previsão da data de lançamento?

R: As coisas continuam seguindo em frente. Agora mesmo o diretor está trabalhando no roteiro com o estúdio, mas esperamos ter novas notícias da produção em breve!

5)Você pretende vir algum dia para o Brasil? Poderia deixar alguma mensagem para seus leitores brasileiros?

R: Sim! Absolutamente. Eu não sei ainda quando vai ser, mas mal posso esperar pra visitar o Brasil e espero conhecer todos vocês lá. Eu lembro de quando eu estava trabalhando no livro. Era apenas eu, os personagens e a tela do computador, sozinhos no meu pequeno apartamento, e eu costumava sonhar que um dia a história se tornaria um livro que poderia alcançar alguém, em algum lugar do mundo a quem ela poderia fazer diferença. Saber que tantos jovens no Brasil abraçaram o livro é além de tornar um sonho realidade, é uma verdadeira honra. Obrigada!

Quando a entrevista já estava finalizada, a Ava me mandou mais uma mensagem privada dizendo:

“Oi Ana! Obrigada por ser tão paciente e também por suas amáveis palavras! Beijos, Ava”.

Fofa, né? Então é isso, pessoal. Amei ter tido a chance de conversar um pouco mais com ela. Para terminar o post quero deixar um agradecimento especial para a minha amiga Stephanie Marie, que me ajudou com as perguntas, mesmo com a vida corrida. Miga, não sei o que seria de mim sem você!

Espero que tenham gostado.

Beijinhos

-Tink


Resenha: A Espada do Verão


"Magnus Chase não sabia no que estava se metendo quando resolveu invadir a mansão do tio para tentar descobrir por que só agora ele o estava procurando, dois anos depois de o menino perder a mãe e ser obrigado a viver nas ruas. Quando confrontado, tio Randolph começa a discursar sobre mitologia nórdica e uma arma perdida há muitos e muitos anos - uma espada que pertenceu ao pai de Magnus.
O garoto está certo de que o tio endoidou de vez, porém, quanto mais ouve Randolph, mais as peças do quebra-cabeça parecem se encaixar: histórias sobre Asgard, lobos, seres estranhos e deuses como Thor e Loki pipocam em sua mente. Magnus de repente se vê no centro de uma profecia que selará o destino dos nove mundos."

Ooooii gente, tudo bem?? Que saudade de escrever aqui!!!!! Nem lembro quando foi meu último post escrito kkkkkkk
Mas hoje eu voltei com tudo para falar de um livro que fez o meu início de ano ser mais especial.
A Espada do Verão, é o primeiro livro da nova saga do Rick Riordan( <3 ) sobre os deuses nórdicos. E esse livro de estréia já começou arrasando!!!!!
Vocês já sabem que eu acho a escrita do Rick divina, e eu estava muito ansiosa para essa nova saga. Sei que Heróis do Olimpo teve uma certa "rejeição" dos fãs, até mesmo de mim, mas no fundo o que realmente me incomodou em HdO foram os personagens, que tirando o Leo e a Reyna, eu achei muito sem sal, porém eu gostei bastante do enredo e de como tudo se desenrolou e terminou.
Então, por isso eu estava confiante com esse livro, porque sabia(ou acreditava) que mesmo que eu não gostasse de alguns personagens(ou todos kkkk), o enredo não iria me decepcionar.
E ele não me decepcionou em nenhum ponto! Os personagens, o enredo, as piadas, o sarcasmo, tudo, tudo na medida, tudo maravilhoso.
Tem algumas características dos outros livros do Tio Rick, mas também tem seu diferencial. Se for comparar Magnus com algum personagem, eu compararia ele com o Percy ou Leo, mas ele tem seu diferencial pela sua história. Ele passou dois anos morando na rua depois da morte da mãe, e isso deu à ele um ar mais maduro e mais durão.
Tiveram vários pontos que eu gostei da história e que se diferencia dos outros livros do Tio Rick, como por exemplo o lugar para onde o Magnus vai depois de descobrir que é um semideus. Este lugar não é só para semideuses, o que é super interessante. E gente, que lugar, viu?! Muito luxo, muito ouro, muitas armas, o lugar é tudo MUITO. O quarto do Magnus então.... Quero um quarto daquele.
O pai do Magnus, apesar de ter uns poderes muito legais e por conta disso o Magnus sabe fazer uns paranauês daoras, não é um deus maior. O que eu achei demais, já que em todos os outros livros do Tio Rick, o principal - ou principais no caso de A Crônica dos Kane - é filho de um deus maior, super ultra mega poderoso. Magnus veio aí pra provar que você pode sim ser importante para o destino do universo mesmo sendo filho de um deus menor.
Thor é completamente diferente do que a gente vê nos filmes, e é muito divertido.
As aparições do Loki são demais, e pelo final já deu pra perceber que ainda tem muita coisa envolvendo ele.
A Espada do Verão(a espada mesmo, não o livro kkk) é divertidíssima, e sentimental.
Adoraria falar muito mais coisas para vocês, mas tenho medo de que só o pouco que eu falei já tenha sido um baita spoiler, então vou parar por aqui.
Foi um livro muito agradável de se ler, adorei tudo do começo ao fim. Estou com mais expectativas ainda para o próximo livro, O Martelo de Thor, e tem uma pessoa que é basicamente responsável por toda essa minha ansiedade além da história, que é ninguém mais, ninguém menos que Annabeth Chase!!!!!!
Amo essa garota <3
Então, deixo para vocês a leitura de um trecho do livro feita pelo Tio Rick.



Beijinhos e até a próxima!!
                                                                                                                               -Fê.

Dica para as Férias


Olá Pessoal!!!!

Aproveitando esse clima de verão, calor, sol, praia e mar, resolvi fazer um vídeo sugerindo um livro que na minha opinião combina muuuuito com essa estação que estamos vivendo. O nome dele é Sereia e deixarei a sinopse abaixo para mais informações. Em breve farei uma resenha escrita, detalhando melhor a história abordada. O vídeo ficou um pouco baixo, por isso sugiro que aumentem o volume.






Sinopse: Vanessa Sands, de 17 anos, tem medo de tudo – do escuro, de altura, do mar –, mas sua destemida irmã mais velha, Justine, está sempre por perto para guiá-la a cada desafio. Até que Justine vai mergulhar num precipício uma noite, perto da casa de veraneio da família em Winter Harbor, e seu corpo sem vida aparece na praia no dia seguinte.

Os pais de Vanessa tentam superar a tragédia retornando à vida cotidiana em Boston, mas ela sente que a morte da irmã não foi acidental. Depois de descobrir que Justine estava escondendo diversos segredos, Vanessa volta para Winter Harbor, esperando que Caleb, o namorado de sua irmã, possa esclarecer algumas coisas, mas o garoto está desaparecido.

Logo, não é apenas Vanessa que está com medo. Winter Harbor inteira fica em alvoroço quando outro corpo aparece na praia, e o pânico se instala à medida que a pequena cidade se torna palco de uma série de acidentes fatais relacionados com a água, em que as vítimas são encontradas sorrindo horrivelmente de orelha a orelha.

Vanessa e Simon, irmão mais velho de Caleb, unem forças para investigar os estranhos acontecimentos e, no caminho, a amizade de infância se transforma em algo mais. Conforme eles vão encontrando ligações entre a morte de Justine e a súbita erupção de afogamentos assustadores na cidade, Vanessa descobre um segredo que ameaça seu romance com Simon – e que vai mudar sua vida para sempre.

Então é isso, pessoal! Se vocês também tiverem dicas de livros para as férias, falem nos comentários porque eu também estou aceitando sugestões!

Beijos!
-Tink